- Saude Oral - https://www.saudeoral.pt -

Investigadores descobrem novos biomarcadores do cancro oral associados à sobrevivência dos pacientes

Um grupo de investigadores descobriu biomarcadores epigenéticos que são acentuadamente diferentes em tecidos de cancro oral quando comparados com os tecidos saudáveis adjacentes neste tipo de pacientes. Estima-se que a incidência do cancro oral [1] seja de quatro por cada 100 mil pessoas em todo o mundo, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde.

De acordo com os autores do estudo, esta é uma das primeiras investigações científicas a conseguir identificar os biomarcadores epigenéticos em cancro oral, o que pode ajudar a detetar os sinais de cancro de forma precoce e melhorar, de forma significativa, as taxas de sobrevivência dos pacientes.

Conduzido por investigadores da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, e pelo Instituto de Estatísticas da Índia, o estudo envolveu 16 pacientes com cancro oral que ou fumavam ou consumiam tabaco de mascar, ou ambos. Os investigadores recolheram amostras dos tumores de cada um dos pacientes e ainda dos tecidos adjacentes. Depois, isolaram o ADN das amostras e analisaram as regiões com perfis epigenéticos alterados tanto nas células cancerígenas como nas células dos tecidos saudáveis adjacentes.

Os investigadores dizem que os resultados a que chegaram permitem concluir que existem biomarcadores significativamente associados a um mau prognóstico de sobrevivência para os pacientes, apesar de ser necessário validar os resultados com uma maior amostra de pacientes com cancro oral.

O estudo agora publicado pode ser conhecido em detalhe aqui. [2]