Quantcast
Investigação

Investigadores coreanos criam dispositivo para detetar mau hálito

Um pequeno sensor que deteta o mau hálito foi criado por uma equipa de investigadores do Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coreia do Sul. A investigação, liderada por Il-Doo Kim, aliou uma solução de sal metálico, cloreto de sódio, nanopartículas metálicas de platina e tungsténio, a uma técnica de fabrico chamada electrospinning, produzindo pequenas fibras, relata o Gaceta Dental.

Estudos anteriores demonstraram que quando os óxidos metálicos reagem com gases contendo enxofre, apresentam alterações elétricas que podem ser medidas. Este grupo de investigadores aqueceu as suas nanofibras, fazendo com que o tungsténio oxidasse. As nanofibras tiveram uma maior reação ao sulfureto de hidrogénio quando a sua solução continha quantidades iguais de platina e tungsténio.

Foi também testado um par de gases contendo enxofre, como sulfureto de dimetilo e metilmercaptan, mas as suas fibras eram mais suscetíveis ao sulfureto de hidrogénio.

O protótipo do dispositivo para detetar mau hálito combina elétrodos de ouro revestidos de nanofibra com sensores que detetam gás, humidade, temperatura e pressão. A equipa conseguiu detetar corretamente o mau hálito do ar expirado 86% das vezes, sem qualquer equipamento especial de recolha ou filtragem.

Os investigadores acreditam que um pequeno dispositivo poderia ser feito para realizar um autodiagnóstico rápido e fácil de mau hálito.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?