Quantcast
Investigação

Investigadores belgas desenvolvem modelo 3D com células estaminais do dente

Investigadores belgas desenvolvem modelo 3D com células estaminais do dente

Um modelo 3D com células estaminais do folículo dentário, um tecido membrana em torno de dentes humanos não eclodidos, foi desenvolvido por investigadores da Katholieke Universiteit Leuven (KU Leuven) e da Hasselt University, ambas na Bélgica. O objetivo passa por arranjar uma alternativa à reparação com materiais sintéticos das cavidades e do dano ao esmalte.

Segundo explicado pela KU Leuven, a vantagem deste tipo de modelo 3D é que reproduz fielmente as propriedades originais das células estaminais.

 

“Podemos recriar uma pequena parte do nosso corpo no laboratório, por assim dizer, e usá-lo como modelo de pesquisa. Utilizando células estaminais dentárias, podemos desenvolver outras células dentárias com este modelo, como os ameloblastos responsáveis pela formação do esmalte”, explica o investigador Hugo Vankelecom.

Por sua vez, a estudante de doutoramento Lara Hemeryck explica que “no nosso novo modelo, conseguimos transformar as células estaminais dentárias em ameloblastos que produzem componentes de esmalte, o que pode eventualmente levar ao esmalte biológico. Esse esmalte pode ser usado como material de enchimento natural para reparar o esmalte dentário”.

 

Os investigadores consideram que o modelo pode ter aplicações noutro setores como o da indústria alimentar, ao examinar o efeito de determinados produtos alimentares no esmalte dentário, ou nos fabricantes de pasta dentífrica para otimizar a proteção e o cuidado.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?