Saúde Oral

Estudo revela que por cada post anti-vaping no Instagram, há dez mil a favor

SO vaping

A Food and Drug Administration (FDA), autoridade que regula a saúde pública nos EUA, está a perder a luta contra os cigarros eletrónicos no Instagram. A hashtag #TheRealCost, parte de uma campanha de consciencialização lançada pela FDA contra o consumo de cigarros electrónicos, foi usada cerca de 50 vezes por mês nesta rede social, enquanto as hashtags que promovem o consumo foram usadas cerca de dez mil vezes mais. Os dados são do estudo #Vape: Measuring E-Cigarette Influence on Instagram With Deep Learning and Text Analysis, realizado por investigadores da Universidade da Califórnia, em Berkeley, e do Centro de Investigação Integrada em Leucemia Infantil e Ambiente dos Estados Unidos, que analisou 245 894 publicações realizadas no Instagram sobre cigarros eletrónicos entre 2017 e 2019.

“Centrámo-nos no Instagram porque os influenciadores [com campanhas a favor do consumo de cigarros electrónicos] que entrevistámos para este estudo identificaram o Instagram como a sua plataforma mais importante de marketing nas redes sociais”, justifica em comunicado, citado pelo Público, a principal autora do estudo, Julia Vassey, da Universidade da Califórnia.

Os cigarros eletrónicos têm tido cada vez mais popularidade, principalmente entre os mais jovens, apesar dos vários alertas e das campanhas de consciencialização de entidades de saúde pública em todo o mundo. Um exemplo disso foi exatamente a campanha #TheRealCost, que acabou por não ter o efeito esperado, pois foi “abafada” por publicações que promovem o vaping.

“Com base nos resultados, a campanha da FDA não é muito popular e encontrámos até comentários de utilizadores do Instagram a contestarem as alegações da FDA sobre os efeitos prejudiciais da nicotina na saúde e a classificar a campanha de propaganda”, refere Vassey.

Depois de analisar mais pormenorizadamente 49 655 publicações, os investigadores concluíram que mais de 70% destas incluíam líquidos de sabores para os cigarros e dispositivos de vaping. Os dados analíticos partilhados pelos influenciadores revelaram ainda que muitos dos seus seguidores têm idades entre os 13 e os 17 anos.

“O grande desequilíbrio no volume de publicações [contra e a favor dos cigarros eletrónicos] fez com que a mensagem da FDA fosse abafada pelo marketing das marcas de cigarros electrónicos”, justifica.

De relembrar que, em dezembro do ano passado, o Instagram anunciou a proibição da publicidade a estes produtos devido às mortes nos EUA associadas ao uso destes cigarros.