Médicos Dentistas

Estudo reporta medo e ansiedade constantes em dentistas de todo o mundo

Dentistas podem desempenhar papel crucial na deteção de doenças

A pandemia de covid-19 ou, mais propriamente, o receio de vir a ser infetado pelo vírus que provoca a doença, tem provocado medo e ansiedade entre os profissionais de saúde, e os dentistas não são exceção.

O estudo Fear and practice modifications among dentists to combat novel coronavirus disease (COVID-19) outbreak, que foi publicado no International Journal of Environmental Research and Public Health, teve como objetivo compreender como os médicos dentistas, em diferentes partes do mundo, estão a lidar com o medo de contrair a doença e que estratégias estão a ser implementadas nas clinicas dentárias para evitar a sua transmissão. Os investigadores salientaram, contudo, os efeitos psicológicos devastadores que a doença tem tido nos profissionais dentários.

Para o estudo, foram inquiridos 650 médicos dentistas de 30 países. A maioria da amostra (76%) trabalhava em meio hospitalar e, desses, 74% trabalhavam em instituições privadas e 20% em instituições governamentais.

De acordo com os resultados do inquérito, mais de dois terços (78%) dos médicos dentistas sentiram ansiedade e stresse devido à preocupação com a covid-19. Além disso, o estudo revelou que 90% tinham conhecimento das recentes alterações aos protocolos de tratamento. Contudo, apenas 61% afirmaram que as suas clínicas realizaram as alterações aos protocolos de tratamento para o controlo da transmissão.

“Foi interessante notar que, apesar de terem um elevado nível de conhecimentos, os dentistas de todo o mundo vivem num estado de medo constante de adquirir a doença enquanto realizam tratamentos dentários de rotina. Esta ansiedade levou à modificação dos seus consultórios ou horários de trabalho e à prestação de cuidados dentários de emergência apenas. Alguns dos dentistas tiveram de encerrar os seus consultórios por um período indefinido até que a situação esteja sob controlo seguro”, explicou Muhammad Adeel Ahmed, um dos autores do estudo e professor assistente no departamento de medicina dentária restaurativa e endodontia da Universidade King Faisal, na Arábia Saudita, citado pelo Dental Tribune International.

Ahmed sugeriu ainda que os governos e as respetivas organizações de saúde deveriam organizar sessões e workshops obrigatórios de educação médica e/ou dentária contínua para dentistas, higienistas dentários e outro pessoal, para os ajudar a compreender as orientações relativas à prestação de serviços de cuidados dentários durante a pandemia, por forma a reduzir a ansiedade e o stresse associados à transmissão da covid-19.