- Saude Oral - https://www.saudeoral.pt -

Estudo: Isolamento social de idosos associado a perda dentária

Uma investigação da NYU Rory Meyers College of Nursing notou que os idosos [1] que estão socialmente isolados são mais prováveis de não terem todos os dentes e de os perderem mais rapidamente ao longo do tempo. A investigação analisou idosos chineses e foi publicada na Community Dentistry and Oral Epidemiology, informa o portal Medicalxpress [2].

Os idosos que estavam socialmente isolados tinham, em média, menos 2,1 dentes naturais e a taxa de perda de dentes era 1,4 vezes maior do que aqueles com laços sociais mais fortes. Para entender a relação entre o isolamento social, a solidão e a perda de dentes em idosos na China, os investigadores usaram o Chinese Longitudinal Healthy Longevity Survey para analisar dados de 4 268 adultos com 65 ou mais anos.

 

Os participantes completaram inquéritos em três pontos de tempo diferentes (2011-12, 2014 e 2018), que capturaram medidas de isolamento social e solidão e quantos dentes as pessoas tinham e perderam ao longo do estudo de sete anos. Mais de um quarto (27,5%) dos participantes do estudo estavam socialmente isolados e 26,5% diziam sentir-se sós.

“Os idosos socialmente isolados tendem a estar menos envolvidos em comportamentos sociais e de promoção da saúde, como a atividade física, o que pode ter um impacto negativo no seu funcionamento geral e higiene oral, bem como aumentar o risco de inflamação sistémica”, disse a autora sénior do estudo, Bei Wu. “Esta deficiência funcional parece ser um caminho importante que liga o isolamento social à perda de dentes”, explicou.

 

Já o primeiro autor do estudo, Xiang Qi, nota que “os resultados se alinham com estudos anteriores que demonstram que os indicadores estruturais de desconexão social podem ter efeitos poderosos nos indicadores de saúde e bem-estar”.

A solidão não foi associada ao número de dentes restantes, nem à taxa de perda de dentes. Para o autor, “embora o isolamento social possa resultar numa falta de apoio que possa afetar os comportamentos de saúde, para os idosos que se sentem sós, é possível que as suas redes sociais ainda estejam no local e possam ajudá-los a manter comportamentos saudáveis”.

 

Na China, os idosos com idades compreendidas entre os 65 e os 74 anos têm, em média, menos de 23 dentes (os adultos normalmente têm 32 dentes, ou 28 se os dentes do siso foram removidos) e 4,5% desta faixa etária perdeu todos os dentes.