Quantcast
Investigação

Estudo espanhol reafirma eficácia de elixires bucais no combate à pandemia

Um estudo espanhol revelou que os elixires bucais que contêm CPC reduziram em pelo menos mil vezes a infeciosidade do Sars-CoV-2 in vitro.

Uma investigação espanhola revelou que os elixires bucais que contêm cloreto de cetilpiridínio (CPC) reduziram em pelo menos mil vezes a infeciosidade do Sars-CoV-2 in vitro. Os investigadores afirmaram que os elixires poderiam constituir uma medida eficaz em termos de custos para ajudar na redução da transmissão viral, face à carga viral presente na saliva, que está associada a taxas de transmissão mais elevadas, avança o Dental Tribune International.

Os investigadores testaram três elixires bucais que continham CPC (dois com 0,05% e um com 0,07%). Esses elixires foram comparados com os outros que continham a mesma fórmula respetiva sem CPC, e verificou-se que perturbaram a integridade da cápsula do vírus e inibiram a entrada do Sars-CoV-2 em células-alvo.

“Os elixires bucais contendo CPC diminuíram mais de mil vezes a infecciosidade do Sars-Cov-2 competente em replicação, que estavam ativos na presença de saliva esterilizada, e foram eficazes contra variantes do vírus”, escreveram os investigadores.

Outros componentes químicos que são encontrados em elixires bucais populares, como o peróxido de hidrogénio e a clorexidina, têm demonstrado uma atividade limitada contra o SARS-CoV-2, relata ainda o estudo.

Os investigadores comentaram ainda que devem ser realizados estudos adicionais para avaliar se os elixires contendo CPC são eficazes na diminuição da carga viral e na infecciosidade dos vírus encontrados na cavidade oral dos infetados com SARS-CoV-2.

Recorde-se que uma investigação realizada pela Universidade de Cardiff, no Reino Unido, já tinha sugerido a hipótese de os elixires bucais poderem ser eficazes contra a covid-19.

O estudo espanhol, intitulado Mouthwashes with CPC reduce the infectivity of SARS-CoV-2 variants in vitro”, foi publicado online no dia 20 de julho de 2021 no Journal of Dental Research.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?