Quantcast
Saúde Oral

Estudo: Distúrbios de sono nas crianças podem levar a pior higiene oral

Estudo: Distúrbios de sono nas crianças podem levar a pior higiene oral

Os distúrbios de sono nas crianças durante o confinamento podem estar associados a “uma pior higiene oral”, revelou uma investigação do Instituto de Investigação e Formação Avançada em Ciências e Tecnologias da Saúde (IINFACTS). No estudo participaram 253 pais portugueses e brasileiros de crianças com idades entre os três e os 15 anos, noticia o Público.

Em declarações à agência Lusa, a investigadora do IINFACTS, Sofia Baptista, que é também médica odontopediatra no Hospital da Lapa (Porto), explicou que o estudo visava perceber “a perceção dos pais sobre a qualidade da higiene oral das crianças e as mudanças na rotina” durante o primeiro confinamento devido à covid-19.

Os investigadores e médicos avaliaram as características sociodemográficas, as atividades escolares das crianças online e a qualidade do sono. Segundo Sofia Baptista, “a maioria dos pais (72,2%) reportou que as crianças tinham alterado, de facto, as suas rotinas durante o primeiro período de confinamento e, consequentemente, isolamento social”. Paralelamente, “quase 50% das crianças alteraram a sua qualidade do sono” e “cerca de 30% dos pais reportaram que os seus filhos estavam a piorar a higiene oral”.

“O sono e a higiene oral fazem parte de uma rotina. Se temos crianças que dormem pior, temos crianças que vão aceitar menos uma rotina que é normal, vão estar mais sonolentas e maldispostas. O período de higiene oral é suposto ser um período divertido ainda que com toda a seriedade imposta para termos uma boa saúde”, acrescentou a investigadora do instituto com sede na Gandra, no concelho de Paredes, no distrito do Porto.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?