Quantcast
Investigação

Estudo: Diabetes aumenta em três vezes mais a probabilidade de periodontite

Um estudo português revelou que o doente diabético tem três vezes maior probabilidade de sofrer periodontite.

Um estudo português revelou que o doente diabético tem três vezes maior probabilidade de sofrer periodontite. Aliado a isso, constitui um fator de risco para alterações orais como a xerostomia, informa o Notícias de Coimbra.

A responsável pelo estudo, Ana Rita Fradinho, afirma que “os doentes diabéticos apresentam maior prevalência de alterações orais incluindo xerostomia, alterações do paladar, sialose e candidíase oral. Inclusive sabe-se que o doente diabético tem três vezes maior probabilidade de sofrer destas complicações, pelo que é essencial apostar na prevenção”.

 

A também médica dentista e especialista na área da saúde oral aplicada ao doente com diabetes, alerta que “é essencial que os diabéticos tenham um cuidado acrescido no que toca à higiene oral. Se os níveis de glicose no sangue não forem bem controlados estes terão maior probabilidade de virem a desenvolver doença periodontal e de perder dentes em comparação com pessoas que não têm diabetes. Por outro lado, é importante não esquecer que, como todas as infeções, a doença periodontal pode ser um fator que eleva o açúcar no sangue e pode tornar o controlo da diabetes mais difícil”.

“É a pensar nessa relação de risco que temos vindo a trabalhar em soluções que forneçam uma barreira contra o impacto oral do excesso de glicose salivar, que aumente os antioxidantes e apoie o equilíbrio natural da boca. No fundo procuramos apresentar produtos que neutralizem os efeitos da acumulação de glicose salivar na boca”, acrescentou.

 

Em Portugal, são registados entre 60 mil a 70 mil novos casos da diabetes todos os anos, a maioria do tipo II, com base em dados de 2019.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?