Quantcast
Saúde Oral

Estudo aponta benefícios da impressão 3D interna para a colocação imediata de implantes dentários

Um estudo recente concluiu que a impressão 3D de próteses dentárias realizada em clínica oferece benefícios consideráveis comparativamente à externalização para laboratórios dentários, como a redução do período de espera antes da cirurgia. Intitulada Immediate teeth in fibulas: Planning and digital workflow with point-of-care 3D printing e publicada no Dental Tribune, a pesquisa revelou ainda que a impressão 3D exige, contudo, um investimento inicial em equipamento.

O estudo incluiu 12 pacientes que foram submetidos à reconstrução livre da mandíbula ou maxila com implantes imediatos e restauração imediata. As restaurações foram criadas antes da cirurgia e os primeiros cinco pacientes receberam uma prótese que foi fabricada por um laboratório dentário após o planeamento cirúrgico virtual. Os restantes receberam uma prótese que foi concebida por um cirurgião e impressa em 3D através do laboratório interno.

A prótese dentária foi fabricada através de impressão 3D no ponto de tratamento e no prazo de 24 horas após a sessão de planeamento cirúrgico virtual. O tempo necessário para gerar as próteses internas impressas em 3D foi significativamente mais curto quando comparado com as próteses dentárias fabricadas em laboratório, que por norma demoram semanas. O procedimento também se revelou mais rentável. Enquanto as próteses criadas por um laboratório dentário externo custavam em média 523 euros, cada prótese interna impressa em 3D custava em média sete euros para a resina e uma prótese de arcada completa impressa em 3D em NextDent Micro Filled Hybrid custava menos 42 euros. O preço inclui os custos da resina e a taxa de exportação do Blue Sky Plan, um software de impressão em 3D.

“O estudo descreve um fluxo de trabalho digital para desenhar e imprimir em 3D uma prótese dentária provisória imediata a ser colocada durante a reconstrução da mandíbula quando se utiliza uma aba livre de fíbulas. Esta cirurgia tem sido chamada ‘Mandíbula num Dia’. Os métodos anteriores envolviam laboratórios de terceiros que requerem tempo adicional, perícia laboratorial e são mais caros. A nossa técnica permite um planeamento virtual orientado pelo cirurgião, tal como fazemos com o maxilar e a fíbula”, explicou Fayette C. Williams, diretor da Divisão de Oncologia Maxilofacial e Cirurgia Reconstrutiva da John Peter Smith Health Network (unidade que opera o Hospital John Peter Smith, no Texas, EUA), em declarações ao Dental Tribune.

A criação de uma prótese dentária impressa em 3D internamente permite um maior controlo para o cirurgião criar o esquema oclusal. É também muito mais rápido. Posso gerar esta prótese num dia, enquanto que os laboratórios dentários podem demorar duas ou mais semanas”, acrescentou.

A externalização de próteses dentárias para um laboratório dentário criou um atraso no tratamento, segundo reportam os investigadores, o que limitou a sua utilidade a condições benignas. O fluxo de trabalho digital deste estudo permitiu a restauração dentária imediata para pacientes com doenças malignas. Para Williams, “este tempo é significativo” no caso de um paciente com cancro à espera de ser operado para remover o seu maxilar e tumor.

Apesar das vantagens, os investigadores acreditam que o fluxo de trabalho digital apresentado no estudo se adequa mais a pacientes com dentes no local pré-operatório que serão removidos com o tumor. Existem, contudo, casos mais complexos, nos quais o médico dentista tem de se familiarizar com a manipulação de imagem e com o planeamento de próteses.