Quantcast
Saúde Oral

Estudo analisa como sistema de saúde preventivo altera hábitos de saúde

Um estudo recente explorou o que é necessário a nível de suporte para aproveitar períodos de mudança para criar hábitos que promovam a saúde.

Um estudo recente do Gottlieb Duttweiler Institute explorou o que é necessário a nível de suporte para aproveitar períodos de mudança, como os causados, por exemplo, pela pandemia, para criar hábitos que promovam a saúde. A conclusão foi um sistema de saúde baseado na prevenção, avança o Dental Tribune International.

Segundo o professor de psicologia social e de saúde aplicada na Universidade de Zurique (Suíça), Urte Scholz, perseguir um estilo de vida saudável não é algo que as pessoas estejam predestinadas a fazer. Vários fatores ambientais podem dificultar a nossa capacidade de autorregulação, incluindo insegurança financeira, humor ou saúde mental, nível de educação ou rendimento, e integração social.

Tendo como base a pandemia, o estudo afirma que a autorregulação foi importante para que as mudanças fossem consideradas como uma janela de oportunidade para novos hábitos de saúde por parte dos indivíduos.

O estudo infere que, se a autorregulação fosse implementada na sociedade, seria expectável uma maior importância dada à prevenção. Na Suíça, por exemplo, 2,6% do total das despesas com cuidados de saúde foi na prevenção em 2020. Os países escandinavos, pelo contrário, pretendem atingir os 50% até 2040. “Um sistema de saúde que favoreça os cuidados preventivos em relação ao tratamento agudo não só seria mais eficaz a longo prazo, como também seria mais barato”, explica o estudo.

De acordo com o responsável pelo projeto Certificate of Advanced Studies (Personal Health Coach), Lukas Zahner, os regimes de seguro de saúde querem uma correção rápida, e os clientes também. Um sistema de saúde que vê os cuidados de saúde como um serviço contínuo e não como uma solução única ofereceria aos seus utentes, na visão dos investigadores, as ferramentas e infraestruturas para participarem conscientemente nos seus próprios cuidados de saúde, uma autorregulação coletiva para uma melhor saúde. O estudo evidencia ainda a importância de programas, como os de escovagem que ensinam a higiene dentária correta.

Como exemplo de que é possível mudar em larga escala, a investigação dá o caso da Eslováquia: Em 2006, o projeto conjunto Dental Alarm entre a marca suíça de saúde oral Curaprox e a organização não-governamental Občianske združenie Zdravé ďasná propôs-se a diminuir a falta de profissionais da dentária e do recurso aos médicos dentistas apenas em emergências, através da educação das crianças eslovacas em jardins-de-infância e escolas. Desde o início do projeto, o número de médicos dentistas per capita tem vindo a aumentar constantemente.

“Precisamos de uma mudança de mentalidade, longe da abordagem reducionista e de uma abordagem mais preventiva, interdisciplinar e holística. Neste sistema de saúde, já não falávamos de “doentes”, mas de “utentes”. Deixaríamos de ver a saúde como uma série de intervenções agudas, mas como um projeto ao longo da vida”, denota o estudo.

O estudo Prevention in Transition é uma colaboração entre o think tank suíço Gottlieb Duttweiler Institute e a marca suíça Curaprox. O estudo pode ser acedido aqui.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?