Médicos Dentistas

Dentistas britânicos solicitam apoio financeiro urgente ao governo

UE adia aplicação do novo Regulamento Europeu de Dispositivos Médicos por um ano

A Associação Dentária Britânica (BDA – British Dental Association) da Irlanda do Norte apelou ao governo a uma ação urgente para garantir apoio financeiro a clínicas dentárias privadas e mistas durante a pandemia.

De acordo com uma notícia publicada no Dental Tribune, em carta enviada aos ministros em Belfast, Richard Graham, presidente da BDA Northern Ireland Dental Practice Committee, refere que a medicina dentária na Irlanda do Norte só conseguiria resistir à crise caso tanto as receitas dos consultórios dentários privados e do serviço nacional de saúde britânico fossem salvaguardadas.

Os dentistas na Irlanda do Norte e na Escócia têm apelado aos ministros por apoio financeiro a consultórios dentários privados e mistos, contudo, sem resposta até ao momento.

Atualmente, os dentistas na Escócia estão a enfrentar um aumento dos custos, a diminuição das receitas e dos pacientes. Perante este cenário, o BDA apelou a uma melhor comunicação por parte dos ministros para responder às expectativas dos pacientes.

“O impacto nos rendimentos dos dentistas é tal que as receitas nem sequer se aproximam da cobertura das despesas. Estamos perante um fracasso das empresas dentárias, e perdas de emprego associadas à escala da Irlanda do Norte”, explicou Graham, na carta dirigida à primeira-ministra, Arlene Foster, e à vice-primeira-ministra Michelle O’Neill.

Foram ainda enviadas três cartas separadas para o ministro da Saúde, Robin Swann, e ministra da Economia, Diane Dodds, em março, abril e junho.

Na última resposta enviada pelo gabinete da ministra da Economia, datada de 2 de julho, lia-se o seguinte: “O ministro compreende plenamente a frustração partilhada por algumas empresas ou indivíduos da comunidade que não puderam beneficiar de tanto apoio como outros, mas é impossível fornecer financiamento para cada cenário que se apresentou durante esta pandemia.”

A BDA lança agora um novo apelo à ação por parte dos seus membros, a fim de exercer pressão sobre governo, partilhando as suas histórias.

Em Portugal

Em território nacional, o Governo aprovou esta semana em Conselho de Ministros Extraordinário o apoio à retoma progressiva, que estabelece um novo regime de lay-off que sucederá ao simplificado. Ao abrigo deste novo regime, as empresas vão poder reduzir o horário dos trabalhadores em função da quebra de faturação. Assim, o lay-off simplificado só ficará disponível a partir de agosto para as atividades impedidas de retomar atividade, o que não é o caso da medicina dentária.

Para acederem ao novo apoio, as empresas terão de registar uma quebra de faturação de pelo menos 40% comparativamente ao período homólogo.