Quantcast
Opinião

Como é que a Clínica Arriaga se adaptou à covid-19?

Sabendo nós que uma boa parte dos nossos pacientes estão ligados, direta ou indiretamente, ao turismo, obviamente que fomos também atingidos pela crise pandémica. O que se assiste neste momento em particular é a um receio à despesa, um pouco à semelhança da anterior crise económica que se registou, quando a Troika entrou em Portugal.

A nossa esperança é de que as moratórias e apoios que estão a ser trabalhadas de acordo com a evolução da pandemia, que no fundo é um balão de oxigénio para as empresas, mantenham os postos de trabalho e assim fazer com que a economia reaja e haja circulação de capitais.

Tendo a Clínica Arriaga três clínicas sob a sua Gestão (Funchal, Ribeira Brava e Canhas), foi um desafio muito grande otimizar e gerir tantos recurso humanos, como a parte financeira da empresa, de maneira a estruturar e repensar despesas correntes fixas e variáveis, assim como investimentos em novos equipamentos.

Numa primeira fase, distribuímos a equipa médica e assistentes em turnos diferentes, para que se porventura algum elemento da “Equipa A” se infetasse não traria constrangimentos à “equipa B”.

A nossa gestão da pandemia começou já em feveveiro de 2020, acompanhando e monitorizando o site da Johns Hopkins University, assim como as notícias que iam saindo do exterior, ajudaram-nos de alguma maneira a antecipar planos de contingência e medidas preventivas que adotamos atempadamente.

Graças às novas tecnologias, durante o confinamento e pós-confinamento temos vindo a reunir mais vezes com as diferentes equipas de maneira a aferir dificuldades, constrangimentos, sugestões e adaptações necessárias, entre outros. Foi também estimulada a participação de toda a equipa em vídeos de entretenimento e educativos, por forma a aproximar a nossa comunicação do nosso público durante o período em que não estávamos a exercer a atividade profissional.

Pensar que a área da saúde passa ao lado de uma crise económica é errado

Como sabemos, a crise levou à diminuição da procura de serviços de saúde públicos por parte dos pacientes, com receio de serem contaminados, claro que o serviço privado foi ainda mais atingido. O que atenua possivelmente no nosso caso será a reputação adquirida com quase 20 anos de uma marca que transmite confiança e autoridade no mercado regional.

Os cuidados acrescidos a que fomos obrigados a ter devido a esta crise reforçam ainda mais aquilo a que a nossa profissão está e sempre esteve preparada para o combate à infeção cruzada.

Desde o surgimento do vírus do HIV (Sida) e as várias hepatites, entre outras, que os cuidados de desinfeção e esterilização de equipamentos e materiais, assim como a proteção individual tanto de médicos, assistentes e receção foram acautelados também para proteção dos pacientes.

Procura de serviços

Após o confinamento, a procura pelos nossos serviços foi grande e agora assiste-se a um abrandamento e retração da economia generalizado e não é indiferente para as famílias as despesas dos estudantes no regresso à escola/universidade, assim como a ameaça de um novo aumento de desemprego com a persistência da crise sanitária.

A falta desta rotina diária pode resultar em dentes não tratados que podem estar relacionados com cáries ou outras infeções, levando a uma consulta de urgência que poderá resultar na perda dentária e, consequentemente, nos problemas associados à falta de dentição, como a qualidade de vida e autoestima, eficácia de mastigação e problemas oclusais.

Medidas para minimizar o risco de contágio nas nossas clínicas dentárias

Atualmente, usamos batas descartáveis, toucas individuais em todos os médicos e assistentes, viseiras e máscaras de capacidade filtrante FFP2. Além disto, fazemos uma triagem telefónica na véspera da consulta marcada e os procedimentos a tomar pelos pacientes na sua vinda à clínica. À chegada à clínica, é feita a medição de temperatura e desinfeção das mãos de todos os colaboradores e pacientes.

A nossa sala de espera foi adaptada para garantir o distanciamento físico entre cadeiras. Foi interdito a presença de acompanhantes, exceto menores ou pacientes com mobilidade reduzida, minimizando o risco de infeção.

Implementamos medidas também para os colegas que se encontravam em formação fora da região, obrigando à dupla testagem (à chegada e ao fim do 6.º / 7.º dia) para garantir a segurança de todos. De salientar que durante esta semana de testagem os nossos médicos encontravam-se em casa em isolamento profilático.

Como é que se consegue entregar um serviço de valor quando a ordem é para economizar?

A crise pandémica também nos obrigou a fazer uma gestão otimizada de stock, de forma a não haver dissipação de recursos financeiros que são muito necessários nesta altura, mantendo a mesma qualidade do material, com stock ótimo. A Clínica Arriaga prima-se pela utilização de materiais e equipamentos de alta tecnologia para proporcionar uma melhor experiência ao paciente. Não dispensamos a utilização de materiais das melhores marcas, sabendo que isso poderá comprometer o resultado final.

Nunca uma economia de escala foi tão importante na compra de materiais, assim como fomos obrigados a rever parcerias antigas com muitos dos nossos fornecedores.

Segurança na ida ao dentista

No nosso entender, é muito mais seguro estar dento da Clínica Arriaga do que estar na rua. Os cuidados são os adequados e indicados pela Direção Geral de Saúde, sendo que o uso de máscara é obrigatório, para além de várias medidas externas.

O adiar de tratamentos podem levar em muitos casos a custos acrescidos e mais importante do que isso a danos irreversíveis a nível de saúde oral (perda de dentes, abcessos, quistos, infeções, etc.) e da saúde em geral.

Luz ao fundo do túnel

As mais recentes notícias da eficácia da vacina anunciada trazem esperança e uma confiança na retoma da vida normal das pessoas. E, mesmo que assim não seja, a ciência biomédica encontrará, com certeza, medicação ou tratamentos que nos permitam de uma vez por todas regressar à nossa rotina diária (“ao antigo normal”).

Prevenção ainda é o melhor remédio

Recorde-se que as visitas ao dentista devem ser iniciadas desde cedo, para que possamos atuar preventivamente, pois estas rotinas são vistas como uma oportunidade de prevenir problemas de saúde oral. Nunca é demais relembrar que é melhor ter a nossa dentição do que ter que recorrer a substitutos.

Uma grande ajuda para os nossos pacientes é a possibilidade de recorrer ao financiamento com taxas de juro a 0%, onde o sorriso de sonho pode estar ao alcance de qualquer pessoa, mesmo em tempos de pandemia.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?