Saúde Oral

CEIIA cria capacete para cirurgiões e dentistas que permite operar em ambientes contaminados

Como vão os médicos dentistas regressar à normalidade?

O Centro de Excelência para a Inovação da Indústria Automóvel (CEIIA) está a desenvolver um capacete que permitirá operar em ambientes contaminados por covid-19. 

O capacete, destinado a cirurgiões e dentistas, deverá estar disponível no mercado antes do final do ano.

Isto é um capacete para proteger os cirurgiões quando estão a operar alguém contaminado com covid-19. Isto implica que seja um capacete leve, que tenha ventilação, informação, realidade aumentada, vídeo, um conjunto de ferramentas com um elevado nível de sofisticação”, explica José Rui Felizardo, CEO do CEIIA, citado pelo ECO.

O protótipo funcional deverá estar pronto dentro de dois meses e o protótipo de estilo deverá ser concluído em seis meses.

O protótipo de estilo apresenta todos os componentes e funcionalidades que o capacete vai ter, “mas não é suscetível de ser usado em ambiente de operação”, explica o representante, acrescentando que “já o protótipo funcional pode ser usado em contexto de operações, ou seja, vai ser testado nesse sentido”.

De acordo com o CEO, posteriormente deverá ser criada uma nova versão adequada a dentistas

O capacete foi pedido por um médico ortopedista do Hospital de São João, no Porto, porque, segundo José Rui Felizardo, apesar de terem algum equipamento, este é muito pesado, dificultando as cirurgias com a duração de várias horas.