Quantcast
Médicos Dentistas

“A diferença reside em cada um de nós e na forma como enfrentamos as adversidades”

Jornadas

Previstas para março de 2020, como é tradição, as XXVIII Jornadas Internacionais de Medicina Dentária do Instituto Universitário Egas Moniz (IUEM) foram adiadas para o dia 21 novembro, em formato digital, como se verificou na maioria dos eventos que estavam agendados para 2020. Dedicado às novas tecnologias em medicina dentária, o evento contou com várias sessões sobre o tema. Depois da antevisão realizada em outubro do ano passado, o presidente das XXVIII Jornadas Internacionais, André Alves, fala agora com a SAÚDE ORAL sobre o rescaldo desta edição.

A chegada da pandemia impossibilitou a realização das XXVIII Jornadas Internacionais de Medicina Dentária na data prevista. Como é que correu, do ponto de vista da organização, reformular aquilo que estava previsto inicialmente para o evento?

Todo o alicerce para a concretização do evento em formato físico estava preparado, contudo, a uma semana da realização do mesmo, o Instituto Universitário Egas Moniz e a Comissão Organizadora das XXVIII Jornadas Internacionais de Medicina Dentária, em prol da segurança de todos os intervenientes e com o intuito de zelar pela saúde comunitária, tomaram a decisão de adiar a data e o formato do evento. A pandemia mundial que atravessamos atualmente condicionou e condiciona ainda de alguma forma todos nós, mas conseguimos adaptar as Jornadas ao contexto atual, não perdendo o prestígio, o rigor e a excelência que já vem sendo uma característica do evento em todas as edições.

Quais foram os maiores desafios?

O novo formato digital do evento acarretou consigo um acréscimo nos desafios para o sucesso do mesmo. A iniciativa dos stands digitais, por exemplo, foi pioneira no que concerne a eventos da área em Portugal e, embora tenham existido algumas dificuldades na concretização desta iniciativa, as dificuldades foram contornadas e o objetivo foi alcançado. Urge referir que a transmissão do evento contou com duas mil visualizações na plataforma do Youtube e que o website do evento contou com cerca de dez mil acessos.

O que está por detrás do lema das XXVIII Jornadas “a diferença és tu”?

O lema foi escolhido no início da preparação do evento, alguns meses antes da pandemia se ter instalado. As circunstâncias em que vivemos e a forma como a Comissão das Jornadas conseguiu ultrapassar as dificuldades e adaptar-se à nova realidade prova que, de facto, e como diz a nossa hashtag, a diferença reside em cada um de nós e na forma como enfrentamos as adversidades.

“Novas Tecnologias em Medicina Dentária” foi o tema central. O que motivou a escolha do mesmo?

O uso das novas tecnologias em medicina dentária acarreta consigo uma curva de aprendizagem, isto é, embora o objetivo seja facilitar e melhorar a forma como atuamos com os pacientes, estas também exigem por parte do médico dentista uma preparação e atualização constante de conhecimentos. Por esse motivo, consideramos muito importante que o tema tenha sido direcionado para as novas tecnologias, com o intuito de trazer aos estudantes e médicos dentistas o que há de novo e distinto e de que forma isso pode contribuir para um melhor tratamento para os pacientes.

Que papel têm assumido as novas tecnologias na medicina dentária?

As novas tecnologias têm apresentado uma importância indubitável na medicina dentária, uma vez que algumas das novidades tecnológicas vêm melhorar e complementar a forma como atuamos com os pacientes. Urge ainda salientar que, de um modo geral, os clínicos vão implementando cada vez mais as novas tecnologias no seu quotidiano.

Das sessões apresentadas quais são as que destaca?

Todas as apresentações foram dotadas de uma importância indubitável, contudo, e no que diz respeito também à adesão por parte dos congressistas, destacaram-se do programa a apresentação da Dra. Inês Lopes: “Post or endocrown? Mudança de paradigma em dentes anteriores com tratamento endodôntico”, a apresentação do nosso orador internacional Dr. Ricardo Tanaka: “Dentsply Sirona – Fluxo digital com excelência estética” e ainda a apresentação da Dra. Maria João Barreto: “Prótese Total Removível na Era Digital”.

Sei que esta edição teve também uma componente solidária…

Sim! Além do sucesso do evento é importante salientar que através da linha de apoio no âmbito das XXVIII Jornadas Internacionais de Medicina Dentária foi possível ajudar as crianças do Centro Juvenil Padre Amadeu Pinto, que consiste num espaço escolar e formativo de apoio a crianças e jovens com origem nos bairros sociais do Monte da Caparica. Foi ainda possível prestar apoio ao Gabinete de Ação Social e Apoio ao aluno Egas Moniz (GASEM), destinado exclusivamente a alunos da comunidade Egas Moniz com dificuldades.

Já há planos para o próximo ano?

Devido à instabilidade provocada pela pandemia, ainda se desconhece o formato em que as Jornadas Internacionais irão ocorrer no próximo ano, contudo, estamos confiantes no seu sucesso, tal como já vem sendo hábito, ao longo das numerosas edições do evento.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?