Quantcast
Saúde Oral

10 dicas a seguir após a extração dos dentes do siso

Pedro Domingues

Este é um artigo para todos os portugueses já que vamos abordar aquilo a que a gíria popular chama de dentes do juízo e que surgem, por norma, entre os 16 e os 20 anos. Falamos dos dentes do siso que, segundo a tendência, vão sendo cada vez mais incomuns, e um dia poderão ser totalmente extintos graças à evolução da espécie humana. Sorte de quem nascer nessa altura, porque a verdade é que os dentes do siso, apesar de não terem nenhuma função específica, podem muitas vezes ser uma fonte de problemas.

É bastante comum existirem algumas complicações associadas aos terceiros molares que conduzem à sua extração. Além de serem mais propensos a cáries, uma vez que são difíceis de higienizar, podendo originar infeções e inclusivamente abcessos, podem também provocar lesões nos dentes adjacentes, especialmente quando o dente do siso está mal posicionado. Podem ainda causar gengivites, periodontites ou até desenvolver quistos. No entanto, caso a sua erupção seja feita na totalidade, em posição favorável, e não comprometendo o alinhamento dos restantes dentes, raramente causam problemas a longo prazo, não havendo, desta forma, motivo para a sua extração.

 

É um facto que muitos de nós já passámos pela experiência de extrair dentes do siso e, para alguns, a recuperação pode revelar-se bastante desafiante. É nesse sentido que a Clínica Médis esclarece alguns cuidados a ter nos dias após a cirurgia:

  1. Manter o repouso no dia da extração do dente do siso, evitando qualquer tipo de esforço, como praticar exercício físico;
  2. Evitar a exposição solar durante os primeiros dias;
  3. Tomar a medicação prescrita pelo médico dentista, que passa por analgésicos/anti-inflamatórios para suavizar as dores;
  4. Aplicar gelo no exterior da face (durante 15 minutos, várias vezes ao dia) – dica crucial para reduzir inchaços;
  5. Ter cuidado a escovar os dentes nos dias seguintes optando por uma escova de cerdas moles;
  6. Não fazer bochechos ou cuspir durante as primeiras 24 horas, aconselhando-se lavar delicadamente a boca com uma solução prescrita pelo médico dentista após esse período;
  7. Manter a cabeça elevada a 45 graus quando estiver a repousar e durante a noite;
  8. Evitar alimentos sólidos e quentes nas primeiras 24 horas, optando por alimentos moles e frios como gelados, iogurtes, batidos, para ajudar na cicatrização e impedir o sangramento excessivo;
  9. Evitar bebidas alcoólicas;
  10. Evitar fumar.

Em caso de agravamento de sintomas ao longo dos dias, como febre, aumento do inchaço, dor muito intensa ou sangramento excessivo, recomenda-se contactar o respetivo médico dentista para receber o aconselhamento indicado à situação clínica. É muito importante seguir todas as recomendações que lhe são indicadas, por forma a minimizar riscos e reduzir o desconforto causado pela cirurgia, recuperando de forma rápida e saudável.

 

 

*Diretor Clínico Clínica Médis Acqua Roma

 

 

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?