Saúde Oral

Programa de saúde oral da Madeira serve de exemplo para o resto do país

criança no dentista - Saúde Oral

O programa de saúde oral do Governo Regional da Madeira – Madeira a Sorrir -, que beneficia cerca de 2300 crianças da região autónoma, foi recentemente alargado a quatro novos concelhos e a idosos e é já considerado uma referência a nível nacional.

Segundo o jornal Público, o programa abrangia, até aqui, as crianças até aos 13 anos das unidades de saúde do Bom Jesus (no Funchal), Porto Santo e Porto Moniz e vai chegar agora aos centros de saúde e escolas de Calheta, Câmara de Lobos, Machico e São Vicente, com o objetivo de ‘atingir’ 6 mil crianças.

De acordo com a Ordem dos Médicos Dentistas, este programa de saúde oral madeirense vai passar a tratar também idosos com mais de 65 anos, medida anunciada no início deste ano pelo Secretário Regional da Saúde, Pedro Ramos. Segundo Pedro Ramos, o programa ‘Madeira a Sorrir’ irá “melhorar e otimizar o funcionamento e operacionalidade do programa.” Em 2016, realizaram-se cerca de 23 mil consultas de medicina dentária na região.

Já o jornal Público explica que o programa de saúde oral da região autónoma, que dá consultas de medicina dentária gratuitas, tem sido considerado uma referência a nível nacional, não só pelas consultas gratuitas à população, mas também porque desde 1997 tem consultas convencionadas e equipas de dentistas e higienistas que se deslocam às escolas em ações de sensibilização.

Intervenção precoce na deteção do cancro oral vai chegar à região

Recentemente, e depois de uma reunião entre o Secretário Regional da Saúde e a Ordem dos Médicos Dentistas, foi avançado que o Programa de Intervenção Precoce de Cancro Oral vai chegar à Região da Madeira, replicando o modelo nacional.

Já no final de fevereiro, Pedro Ramos reuniu com os diretores dos serviços de hemato-concologia, otorrino e anatomia patológica, com a coordenadora do programa regional de Saúde Oral e com o IASAÚDE para analisar a implementação deste programa.