Medicina Dentária

Sociedade Portuguesa de Medicina Dentária Digital já foi constituída

Sociedade Portuguesa de Medicina Dentária Digital já foi constituída

Foi no final do passado mês de maio que se realizou, em Coimbra, a primeira Assembleia Geral da recém-constituída Sociedade Portuguesa de Medicina Dentária Digital (SPMD2), uma organização que quer reunir médicos dentistas, técnicos de prótese dentária e médicos de diferentes especialidades em torno do desenvolvimento da Medicina Dentária Digital. Rui Isidro Falacho, Presidente da Direção da SPMD2, revela à SAÚDE ORAL que a organização nasce com a premissa de que “as mudanças não ocorrem se esperarmos pelos outros ou se as deixarmos para mais tarde.”

Com 103 associados fundadores e co-fundadores, a Sociedade Portuguesa de Medicina Dentária Digital pretende mudar a ideia de que a área Digital da Medicina Dentária não se reduz ao desenho e produção de restaurações por meio de scanners, fresadoras e impressoras.

Em entrevista à SAÚDE ORAL, o Presidente da Direção da nova sociedade científica afirma que esta “nasce da manifesta e crescente necessidade que a Medicina Dentária e Prótese Dentária portuguesas apresentavam em possuir um espaço e organismo dedicado ao debate, angariação e partilha de conhecimento numa vertente que cresce a um ritmo exponencial, como é o caso da área digital.”

Depois de alguns anos a “cozinharmos a ideia” e a “ver e ouvir a opinião de vários colegas, bem como estar cada vez mais inteirado da realidade de outros locais”, Rui Isidro Falacho decidiu lançar o repto que foi acolhido pelos mais de 100 associados com que arrancou agora a SPMD2.

Sociedade Portuguesa de Medicina Dentária Digital já foi constituída

“São fins ou atribuições da SPMD2 o desenvolvimento, a investigação, o estudo e a promoção da Medicina Dentária e Prótese Dentária na sua dimensão digital, bem como de outras áreas que se considerem importantes para a evolução e aperfeiçoamento profissional dos seus associados. Serão também nossos objetivos a divulgação e acreditação de conhecimentos e competências em matéria de Medicina Dentária Digital e Prótese Dentária Digital. Visamos ainda a representação da Medicina Dentária Digital e Prótese Dentária Digital portuguesas junto das entidades nacionais e internacionais, bem como a organização de todo o tipo de atividades científicas, emissão de diretrizes e informações científicas, entre outras iniciativas que contribuam para a dinamização e aprofundamento das áreas que abarcamos.”

Uma das primeiras medidas da SPMD2 será a realização de uma reunião de direção onde será elaborado “um documento a ser enviado aos associados com o plano de ação e de atividades para este primeiro ano de mandato. Posso adiantar que contamos organizar diversas atividades espalhadas pelo país e também um evento em cooperação internacional. Mais será revelado em breve”, explica o Presidente da Direção.

Rui Isidro Falacho diz ainda que a organização agora criada se irá reger “pelo lema de que as mudanças não ocorrem se esperarmos pelos outros ou se as deixarmos para mais tarde. Nós somos aqueles de quem estávamos à espera. Nós somos a mudança que procuramos! A vida não pode ser só sobre ter, é principalmente sobre dar e ser.”

A Sociedade Portuguesa de Medicina Dentária Digital é constituída pelos seguintes órgãos sociais:

Mesa da Assembleia Geral:
Presidente: Duarte Marques
Primeiro Secretário: Paulo Júlio Almeida
Segundo Secretário: Hélder Oliveira
Suplente: Raphaël Gameiro

Conselho Fiscal:
Presidente: Salomão Rocha
Vice-Presidente: João Brochado
Vogal: Pedro Miguel Brito
Suplente: Tomás Amorim

Direção:
Presidente: Rui Falacho
Vice-Presidente: Carlos Falcão
Secretário: André Chen
Tesoureiro: Luís Fonseca
Vogal: José Francisco basto
Vogal: João Fernandes
Vogal: Joana Marques
Suplente: João Pato
Suplente: João Mouzinho