Saúde Oral

SNS não garante assistência mínima em cuidados dentários e oftalmológicos

Apesar de o Governo indicar que no Orçamento do Estado para a Saúde em 2020 (OE2020) estão previstas verbas para reforçar a saúde oral e visual, o Sistema Nacional de Saúde (SNS) vai continuar sem garantir a assistência mínima em cuidados dentários e oftalmológicos, avança o semanário Expresso.

Caso queiram utilizar o SNS para recorrer a estas especialidades, os utentes terão de aguardar uma consulta com o médico de família e a respetiva referenciação para o especialista hospitalar ou recorrer, em alternativa, a um médico privado, uma vez que, segundo o Expresso, “na melhor das hipóteses vai ter acesso à reparação dentária ou à correção visual meio ano depois”.

O OE 2020 faz referência ao alargamento da oferta de saúde oral nos cuidados primários, com uma verba de 1,8 milhões de euros. O semanário refere, ainda, que o projeto de oferta de dentistas em centros de saúde e Unidades de Saúde Familiar (USF), mediante a referenciação pelo médico de família, que teve início em 2016, ainda não está disponível em metade das unidades previstas.

As intervenções previstas são, sobretudo, preventivas ou tratamentos SOS, uma vez que não estão previstos tratamentos que incluam reabilitação e próteses. O alargamento do cheque-dentista e a inclusão de crianças aos dois anos ficam ainda por garantir.