Médicos Dentistas

Obturações podem não ser o melhor tratamento para cáries dentárias em crianças

Quase dez anos depois do lançamento do programa dos cheques-dentista para as crianças de sete, dez e 13 anos das escolas públicas, ainda existem muitos beneficiários que não utilizam estes vales

Não há evidências de que as obturações convencionais sejam mais eficazes na prevenção da cárie ou da dor em crianças do que outras modalidades de tratamento. Esta é a conclusão principal do estudo Child caries management: A randomized controlled trial in dental practice, publicado a 26 de novembro de 2019, no Journal of Dental Research.

A publicação veio relançar o debate sobre as obturações, um método já instituído para o tratamento de cáries dentárias na dentição permanente, mas que no tratamento de cáries em dentição primária ainda é motivo de discussão.

O estudo analisou os resultados do ensaio FiCTION (Filling Children’s Teeth: Indicated or Not), que envolveu 1 144 crianças com cáries, entre os três e oito anos, residentes no Reino Unido. Cada participante do estudo foi tratado com uma das três opções de tratamento: perfuração e preenchimento, abordagem minimamente invasiva de selagem da cárie sob uma coroa metálica ou enchimento e a prevenção da colocação de quaisquer preenchimentos.

Não foram verificadas diferenças significativas entre os resultados de cada um dos três grupos de tratamento.

Citado pelo Dental Tribune, o professor e autor principal do estudo, Nicola Innes, referiu que “o estudo mostra que cada forma de tratamento da cárie funciona a um nível semelhante, mas que as crianças que apresentam cárie dentária em tenra idade têm mais hipóteses de ter dor de dentes e abcessos, independentemente da forma como o dentista trata a cárie”.

“O que ficou absolutamente claro com o estudo é que a melhor maneira de lidar com a cárie dentária não é perfurá-la ou selá-la, mas, sim, prevenindo-a em primeiro lugar”, acrescentou Innes.