Medicina Dentária

“O ecossistema oral torna-se mais hostil à medida que envelhecemos”

“O ecossistema oral torna-se mais hostil à medida que envelhecemos”

Hien Ngo tem uma vasta experiência em clínica privada e ensino. Nos últimos 30 anos, o professor tem sido um ativo orador internacional nas áreas de Cariologia, Dentisteria Restauradora e minimamente invasiva. Atualmente, a sua investigação incide sobre a gestão clínica de cáries, especialmente em pacientes idosos e medicamente comprometidos e as interações entre ionómero de vidro e o ecossistema oral.

A expressão “Saúde oral vitalícia” foi usada pela FDI numa das suas declarações de políticas a implementar. O que significa?

Anteriormente, o edentulismo era aceite como uma norma entre indivíduos mais velhos. Contudo, com os avanços recentes na Medicina Dentária Preventiva e Restauradora o FDI defende que “o objetivo de chegar a uma idade avançada com a dentição completa é atingível, se as medidas preventivas e cuidados de saúde oral forem acessíveis ao longo da vida.”

O termo-chave aqui é “ao longo da vida” porque a criação de uma boa saúde oral na infância é determinante para a saúde oral numa fase mais tardia. Saúde Oral Vitalícia foi o título da política adotada na Assembleia Geral da FDI em Agosto de 2017. Identificou quatro pilares que apoiam a saúde oral ao longo da vida, como a promoção da saúde oral, avaliação de risco, prevenção de doenças e o diagnóstico e intervenção precoces em todas as fases da vida.

Estes quatro pilares irão formar a estrutura base para debater os casos clínicos durante o simpósio Silver Wave na IDEM. Existe um fenómeno global de envelhecimento da população numa escala sem precedentes.

Qual é a situação da região sudeste da Ásia?

O envelhecimento é universal e não há exceção nos países da ASEAN. Espera-se que a percentagem de população com idade superior a 60 irá mais do que duplicar nos próximos 30 anos. Em 2050, duas em cada dez pessoas nesta região terão mais de 60 anos. Contudo, o ritmo de mudança é muito mais acelerado em Singapura do que os países vizinhos. Estima-se em 2050, quatro em cada dez habitantes de Singapura terão 60 anos, enquanto este rácio será de dois e cada dez na Indonésia e de aproximadamente três em cada dez na Tailândia ou no Vietname.

Quais são as consequências desta alteração demográfica para os profissionais de saúde oral?

Para quem trabalha no sector privado isso significará que uma parte maior da sua clientela será composta por indivíduos mais velhos, na sua maioria dentados. Como pertencem à geração do Baby Boom e nasceram entre 1946 e 1964, cresceram num período em que se deu a subida dos padrões de vida, devido à evolução económica, por isso a suas expectativas são diferentes daquelas que tinham as gerações anteriores.

O Australian Institute of Health and Welfare propôs uma classificação alargada para este grupo: indivíduos ativos e capazes, indivíduos com atividade e capacidades limitadas, e indivíduos com atividade e capacidades muito limitadas. Nos últimos dois grupos pode precisar de modificar a sua prática clínica para permitir acessibilidade. Em alternativa existe a opção de referenciar estes pacientes para especialistas ou instituições públicas especializadas neste domínio.

Para os médicos dentistas, a abordagem clínica aos pacientes mais velhos é mais complexa, uma vez que os danos na sua dentição são cumulativos e a sua expressão em fases mais avançadas da vida é mais grave. O ecossistema oral torna-se mais hostil com a idade. Cáries radiculares, um problema raro nos indivíduos mais novos, são comuns em pacientes idosos.

Quando estas situações surgem em pacientes com doenças graves ou do foro mental, a referenciação para um especialista em Medicina Dentária Geriátrica pode ser necessária. A Odontogeriatria é agora uma especialidade de Medicina Dentária reconhecida, contudo os especialistas nesta área ainda são escassos nos países da ASEAN. A aposta de organismos internacionais como o FDI e a OMS no conceito de Saúde Oral Vitalícia irá encorajar debates saudáveis e desenvolvimento de políticas para garantir que as medidas preventivas e de cuidados de saúde oral são acessíveis.