Saúde

Morreu o ‘pai’ do Serviço Nacional de Saúde

Morreu o ‘pai’ do Serviço Nacional de Saúde

Faleceu esta segunda-feira (21 de maio) aquele que é considerado o ‘pai’ do Serviço Nacional de Saúde, António Arnaud. Com 82 anos, o antigo ministro dos Assuntos Sociais e cofundador do Partido Socialista estava internado nos hospitais da Universidade de Coimbra.

Poeta e escritor, Arnaut envolveu-se na oposição ao Estado Novo e participou na comissão distrital de Coimbra da candidatura presidencial de Humberto Delgado. António Costa, secretário-geral do PS, já decretou luto partidário pela morte do antigo ministro, que de acordo com o atual primeiro-ministro do país “honrou-nos como deputado à Assembleia Constituinte e à Assembleia da República e como governante”.

Em declarações ao jornal online Observador, o atual ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, revelou estar “profundamente triste pelo desaparecimento de alguém que nos ensinou a olhar a política com muita humildade”. Para o governante, António Arnaud “deixa um importante legado na construção do nosso sistema democrático, não só no papel que teve na criação do Serviço Nacional de Saúde, mas também pelos ensinamentos que nos deixou e pelo exemplo de combate político, como poeta, como escritor, como cidadão que sempre valorizou o exercício da democracia”.

Arnaud era considera o ‘pai’ do Serviço Nacional de Saúde por ter sido ministro dos Assuntos Sociais durante o II Governo Constitucional que lançou o Serviço Nacional de Saúde. Em 2016, o socialista recebeu a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade, que distingue “serviços relevantes prestados em defesa dos valores da Civilização, em prol da dignificação da Pessoa Humana e à causa da Liberdade”.

Nota: Fotografia retirada do site do Serviço Nacional de Saúde