Saúde

Ministério da Saúde defende introdução “ponderada” da robótica no SNS

Ministério da Saúde defende introdução “ponderada” da robótica no SNS

A introdução da robótica no setor da saúde deve ser feita “de forma ponderada”, defendeu esta semana o Presidente dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), Henrique Martins.

De acordo com a Lusa, estas declarações foram proferidas à margem de um workshop dos SPMS, que decorreu em Lisboa, e em que o Presidente da instituição sublinhou que é importante estudar a introdução da robótica no setor da saúde, uma vez que “há projetos mais prioritários do que outros”.

Henrique Martins defende que “não se trata apenas de uma prioridade tecnológica”, é necessário perceber “qual é o valor que a solução robótica aporta numa determinada tarefa a ser feita no seio do Serviço Nacional de Saúde”.

O responsável diz ainda que a utilização deste tipo de tecnologia no Serviço Nacional de Saúde não tem que implicar, necessariamente, redução de postos de trabalho, podendo, ao invés, trazer “conforto para o profissional de saúde e até causando menos doenças profissionais”.

O Presidente do SPMS referiu também que “é necessário aguardar pelo momento certo para investir nessas tecnologias. Contudo, noutros casos, o investimento não é muito maior do que aquele que já fazemos em certos tipos de medicamentos ou opções terapêuticas.”