Médicos dentistas

Mindfulness, a arte de estar no presente, sem stresse

O burnout é hoje considerada uma doença: trata-se de uma situação extrema de exaustão que pode encontrar melhoria num processo de aprendizagem de estar consciente e saber aproveitar o presente. O mindfulness é uma técnica que permite alcançar esse estado de tranquilidade, e Manuela Rodrigues, médica dentista, traz a Portugal um programa focado nos seus colegas de profissão.

Sabemos, muitas vezes por experiência própria, que o dia a dia não é fácil e pode ser altamente stressante. A nossa cabeça “anda a mil”, ouvimos tantas vezes dizer. Cansaço, esquecimento e falta de motivação são sentimentos muito comuns na sociedade de hoje. O momento presente, a concentração absoluta são cada vez mais raras. Tudo isto conduz a uma situação de burnout – uma condição que foi reconhecida em maio deste ano como doença pela Organização Mundial de Saúde.

Os médicos dentistas, tal como profissionais de outros setores, estão sujeitos a uma forte pressão profissional, que se alia muitas vezes a uma vida social cada vez mais exigente, estando também sujeitos a sofrer de burnout. Segundo Steven Stack (Suicide risk among dentists: A multivariate analysis), a “probabilidade de suicídio de um dentista é 6,64 vezes maior do que a do resto da população em idade ativa”.

Os sintomas desta doença consistem num estado físico, emocional e mental de exaustão extrema. A síndrome de burnout envolve sintomas como cansaço excessivo físico e mental, insónias, dificuldade de concentração, alterações repentinas de humor, fadiga, tensão alta, taquicardias, dores musculares, sentimentos de fracasso, insegurança e/ou derrota, isolamento, problemas gastrointestinais. O stresse e a falta de vontade de sair da cama ou de casa, quando constantes, podem indicar o início da doença. Estudos recentes confirmam que o stresse excessivo da profissão de médico dentista se traduz numa incidência alarmante de doenças cardiovasculares, úlceras, colites, dor lombar, cansaço da vista, depressão ou suicídio.

“O MBSR é, atualmente, o programa de mindfulness com mais pesquisa científica e mais praticado a nível mundial”

Perceber que não estamos bem pode ser um processo demorado e, muitas vezes, quando nos apercebemos, estamos no limite. Os sintomas de burnout surgem de forma leve, agravando-se ao longo do tempo. O ideal seria procurar ajuda assim que for notada uma ligeira alteração e aprender a lidar com o stresse.

Existem hoje técnicas para ultrapassar esta exaustão extrema, sendo a mais eficaz aquela que implica parar e aproveitar o momento na sua plenitude. É aqui que entra o mindfulness, o “simples ato de intencionalmente dar atenção ao momento presente, ou seja, é o ato de estar ativamente consciente do que estamos a fazer, enquanto o estamos a fazer. Isto pode parecer simples, mas não é”, explica Manuela Rodrigues, médica dentista que, desde 2016, é praticante desta ‘técnica’ e que organiozu o programa ‘Mindfulness Based Stress Reduction’ (MBSR), em Lisboa, em outubro.
“Ser mindful é estar totalmente no momento presente, de uma forma intencional, experiencial e não julgadora. Isto consegue-se através de treino, com técnicas de meditação. A palavra meditação ainda tem muita conotação negativa, mas não é mais do que treino de concentração e foco. A meditação mindfulness tem como foco o treinar a mente a ficar no momento presente. A meditação pode ser vista como ir ao ginásio. Neste caso, o ginásio da mente. É com o treino da meditação que treinamos a nossa mente a estar concentrada e focada”, explica Manuela Rodrigues.

O mindfulness é uma técnica aplicada hoje em muitas empresas, como a Google, a PWC, o Deutsche Bank, a Apple, o Credit Suisse, a KPMG, a Reuters, o Santander, a SAP, a Galp, a McKinsey, o MIT, entre tantas outras. Todas perceberam os benefícios do mindfulness e começaram a aplicá-lo aos seus colaboradores.

Em vários países da Europa, com maior predominância no Reino Unido, já está a ser aplicado nas escolas, faz parte do sistema nacional de saúde e é aplicado também no parlamento. Na Holanda e na Bélgica, faz parte da formação contínua dos profissionais de saúde.

“O stresse está a deixar-nos doentes, tristes e estúpidos. A prática do mindfulness torna-nos profissionais, pessoas mais felizes”, diz Manuela Rodrigues, que decidiu incluir este método na sua vida, sendo hoje a sua principal ocupação profissional transmitir estes conhecimentos e esta forma de estar aos seus colegas de formação. “O mindfulness pode ajudar os médicos dentistas a lidar de uma maneira saudável e eficaz com o stresse resultante da profissão. No programa de ‘Mindfulness Based Stress Reduction’ (aprendemos as competências necessárias para melhor lidar com o stresse, equilibrar a energia e (re)descobrir a alegria na profissão. Ninguém tem de se sentir preso a uma vida de stresse, preocupação, ansiedade e/ou exaustão.”

O mindfulness, que oferece um caminho simples, que pode ser feito por qualquer um, juntamente com a meditação, reduz o stresse e isto tem benefícios imediatos no plano da saúde: sono mais eficiente, mais energia, melhoria do sistema imunitário, menos ansiedade e depressão, aumento da concentração, atenção e memória.
“Pessoalmente, acho que chegámos a um ponto em que é aceite como normal que a profissão de dentista é muito desgastante. Isto é falado abertamente e frequentemente entre colegas. Mas quando se fala em maneiras de lidar com este desgaste não há respostas. O mindfulness oferece essa resposta”, afirma Manuela Rodrigues. Os efeitos positivos na profissão são a melhoria do desempenho, da liderança, tomar melhores decisões, melhor comunicação, criatividade, melhores capacidades de negociação, estabilidade emocional, melhores relações profissionais e pessoais.

Mindfulness para redução de stresse
A maior parte das pessoas vive em permanente estado de stresse, sem conseguirem realmente estar presentes e a sentir que não estão completamente em controlo da sua vida. A praticante de mindfulness ensina “as pessoas a meditarem, a terem uma prática sólida de meditação nas suas vidas e a integrar o mindfulness no seu dia a dia e assim permitir que vivam uma vida mais feliz e equilibrada, com mais clareza, foco, criatividade e alegria. Organizo também retiros de mindfulness em que as pessoas têm oportunidade de parar, relaxar e aprender sobre o mindfulness e os seus benefícios”, explica.

O programa ‘Mindfulness para Redução de Stresse’, dado por Manuela Rodrigues, chegou a Portugal em outubro. Trata-se de um programa baseado em técnicas de meditação mindfulness desenvolvido pelo doutor Jon Kebat-Zinn, em 1979, no Departamento de Medicina Preventiva da Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos da América.
O MBSR é um programa de aprendizagem experiencial com base no treino de mindfulness, em que são abordadas áreas como a gestão de stresse, a regulação mental e emocional e a implementação da prática de mindfulness no dia a dia. “O MBSR é, atualmente, o programa de mindfulness com mais pesquisa científica e mais praticado a nível mundial.”

O programa tem a duração de oito dias e não é, sublinha Manuela Rodrigues, “um penso rápido” ou uma “cura milagrosa”. “É um programa de treino, no qual se aprendem ferramentas mentais e a desenvolver novos hábitos e atitudes para lidar de uma maneira mais consciente com os desafios da profissão.”  O programa consiste em oito sessões de 2h30 ao longo de oito semanas, mais um dia intensivo (com duração de seis horas). Cada edição está limitada a um número de dez participantes.

Benefícios da meditação mindfulness

  • Redução de stresse
  • Reduz enxaquecas
  • Melhora o sono
  • Aumenta a produtividade e o desempenho (Quando o nosso corpo está num estado de stresse e/ou ansiedade, a nossa capacidade mental diminui. A meditação diminui o stresse e permite trabalhar na sua melhor forma com todas as capacidades.)
  • Mais energia
  • Melhoria do sistema imunitário
  • Menos ansiedade e depressão
  • Aumento da atenção e memória

 

A abordagem do MBSR é contemporânea e adaptada à vida moderna. Não é necessário roupa especial ou almofadas de meditação. Os participantes sentam-se em cadeiras e têm um curso normal. Neste programa de oito semanas, aprendem-se as ferramentas para ter menos stresse, ter mais clareza e criar a liberdade mental para focar no que realmente interessa. Manuela Rodrigues adianta que “isto vai ser feito de um modo estruturado, guiado por um instrutor treinado e suportado por um grupo de  pessoas que estão a passar os mesmos desafios”.

A primeira edição do programa de mindfulness para médicos dentistas começou no dia 12 outubro e está a decorrer até 7 de dezembro, na Clínica Dentária do Bairro, em Campo de Ourique, Lisboa. Haverá uma segunda edição, também na capital, nos meses de janeiro e fevereiro de 2020. Manuela Rodrigues gostaria também de levar este programa até ao Porto: “Tenho tido muitos pedidos de colegas do Porto no sentido de fazer lá uma edição.”

Será a primeira vez que a especialista organiza MBSR em Portugal para dentistas, o que não acontece por acaso. “Sei, por experiência, que a profissão de dentista é exigente e desgastante, e acredito que o benefício que os médicos dentistas podem ter com este curso é elevado. Não só para si, mas também para os seus pacientes, para toda a equipa na clínica (muitas vezes ao seu encargo) e para a sua família.”

Os interessados em participar neste programa podem inscrever-se ou pedir mais informações através do endereço eletrónico  manuela.srodrigues@hotmail.com ou visitando o site  https://mailchi.mp/d0f1fa5221a5/mbsr , no qual se encontra toda a informação e formulários de inscrição. O valor do programa é de 200 euros (IVA não incluído) para oito sessões semanais, sessão intensiva, manual e áudio com práticas guiadas de mindfulness.

Manuela Rodrigues chega ao mindfulness em 2016

É médica dentista desde 2001. Entre 2015 e 2017 exerceu a profissão na Bélgica. Em 2016, fez um curso do RIZIV (um curso obrigatório para manter o número profissional na Bélgica) de ‘Mindfulness in de tandartspraktijk’ (Mindfulness na clínica dentária). No final, o doutor Wilfried Van Craen falou com Manuela e perguntou-lhe se em Portugal o mindfulness era ensinado aos dentistas. Ela respondeu que não e ele instigou-a a fazer essa formação.  Já na altura, Manuela Rodrigues era praticante e entusiasta de meditação mindfulness e vida consciente. Assim, fez mais cursos de mindfulness e meditação, retiros, leu livros, estudou, aprofundou a prática, iniciou um curso de formação para formadores pela UC San Diego Health, e a medicina dentária ficou cada vez mais para segundo plano.  

Este artigo foi publicado originalmente na edição 128 da revista SAÚDE ORAL, de setembro/outubro de 2019.