Médicos dentistas

Miguel Stanley aposta no Slow Dentistry e quer levar conceito a outras clínicas

Miguel Stanley aposta no Slow Dentistry e quer levar conceito a outras clínicas

Poucos ficam indiferentes ao novo vídeo onde Miguel Stanley aparece a falar de Slow Dentistry numa figura animada. Mas afinal do que se trata? Este é um “projeto pensado para o público, não apenas para médicos dentistas”, explica.

“Slow Dentistry é um projeto internacional baseado num conceito desenvolvido por mim, mas gerido por uma empresa internacional. Slow Dentistry é uma marca registada que terá um website que vai apoiar clínicas dentárias que investem mais tempo e mais recursos em fazer o protocolo ‘Gold Standard’ na medicina dentária, e que passa pela correta desinfeção dos gabinetes, por explicar os procedimentos aos pacientes e apostar nos consentimentos informados, por garantir o tempo de anestesia adequado e pela montagem de dique de borracha sempre que indicado nos tratamentos, como restaurações e endodontias. Entendemos que quem faz isso geralmente está mais preocupado com a qualidade geral e bem-estar do paciente”.

Para Miguel Stanley, que este ano completa 21 anos como médico dentista profissional, o verdadeiro modelo que tem sucesso passa por “uma clínica que tenha uma direção clínica médica séria e que trabalhe a pensar no bem-estar da equipa médica e do paciente. E o Slow Dentistry é para estes médicos dentistas. Sabemos que em Portugal temos uma classe que não é muito unida, que tem pequenos nichos que se preservam entre si, e não há um grupo geral que puxe pela qualidade, não há um pensamento positivo. E pensei durante algum tempo como poderíamos distinguir clínicas que investem mais dinheiro e tempo a proteger os seus pacientes, que investem mais em formação, nos cuidados básicos, que têm todo o licenciamento, que fazem os protocolos ‘Gold Standard’ em todos os tratamentos versus as clínicas de volume”.

“Percebi que há uma grande percentagem de médicos dentistas a nível mundial que estão mais preocupados com a faturação e o sucesso e o reconhecimento. Mas isso reside na qualidade da conduta profissional, nos resultados estéticos, na tecnologia, na interdisciplinaridade. Mas quem está preocupado com as coisas mais simples? Ninguém. Não estamos a falar de tratamentos complexos. Estamos a falar de pilares. Quero criar uma ferramenta para que o público possa ter mais noções de segurança quando escolhe uma clínica dentária. Qual é o critério do público hoje em dia? Preço! Isso e a localização ou o website não devem ser critérios de escolha. Quer dizer, podem ser critérios, mas quero criar um critério extra: Slow Dentistry”.

Marca registada

Atualmente, o conceito Slow Dentistry já é uma marca registada e consequentemente protegida nos 27 países da União Europeia. “A utilização indevida da marca Slow Dentistry em qualquer meio é ilegal. Só vamos dar essa hipótese a quem conseguir provar que pratica Slow Dentistry”. Essas provas são enviadas através do site com documentação específica. “Até ao Verão queremos lançar um website a explicar o conceito e Portugal vai ser o primeiro país onde vai ser implementado. Já existem embaixadores em mais de 50 países “líderes de excelência e pessoas de grande renome internacional”, diz Miguel Stanley.

“Quero criar a marca Slow Dentistry para aquelas clínicas que desinfetam corretamente os gabinetes entre as consultas, fazem o protocolo de esterilização de forma correta, esperam o tempo necessário para a anestesia fazer efeito, explicam o protocolo aos pacientes e têm o consentimento informado do paciente para o tratamento em questão. Explicam riscos, recompensas e possíveis fracassos, e que usam, sempre que indicado, dique de borracha em tratamentos restauradores e endodontias”.

Selo Slow Dentistry

“O conceito Slow Dentistry quer dar uma oportunidade aos médicos dentistas portugueses e mundiais que fazem esta preparação bem-feita porque quem gasta um pouco mais de tempo na preparação deve ser reconhecido por isso. Eu como cliente, no futuro, vou escolher uma clínica onde, além do preço, localização e simpatia tenha o selo de aprovação Slow Dentistry”.

E como são os procedimentos na White Clinic? “Temos 6 gabinetes dentários, todos os nossos colaboradores estão a contrato, temos 2 empregadas de limpeza, 6 assistentes dentários, 3 rececionistas, 4 pessoas na administração, contabilidade a full time, uma equipa com 12 médicos dentistas, 8 a full time, perto de 27 pessoas na equipa para apenas para 6 gabinetes. Sempre trabalhámos com a filosofia Slow Dentistry e sabemos que há muitas clínicas em Portugal que merecem ter também este reconhecimento”.