Investigação

Há um português na equipa destacada pelo planeamento de transplante facial

Há um português na equipa destacada na última edição do JADA

O médico dentista português João Malta Barbosa fez parte da equipa cujo trabalho está em destaque na última edição do Journal of the American Dental Association (JADA). Em causa está um dos últimos trabalhos científicos em que teve oportunidade de participar durante os seus estudos de especialização em Prostodontia na Universidade de Nova Iorque NYU).

A liderar a equipa esteve o médico (e também médico dentista) Eduardo Rodríguez, Chair do Hansjorg Wyss Department of Plastic Surgery da NYU .

“O trabalho publicado consistiu em reportar o papel do Médico Dentista especialista em Prostodontia no planeamento e reabilitação de recetores e dadores de transplantes faciais, incluindo considerações pré-operatórias de planificação e pós-operatórias de reabilitação”, explicou João Malta Barbosa à SAÚDE ORAL.

“Tratando-se da publicação oficial da American Dental Association, a JADA é uma das revistas da área da Medicina Dentária mais lidas no mundo. Cabe-me agradecer aos colegas que e mim confiaram para integrar a equipa que concretizou este trabalho. Aos Drs. Rodrigo Diaz-Siso, Natalie Plana e Eduardo Rodríguez (que lidera a equipa) do Hansjorg Wyss Department of Plastic Surgery da NYU e ao Dr. Lawrence Brecht, membro do mesmo departamento e professor do Jonathan and Maxine Ferencz Advanced Education Program in Prosthodontics (NY) o meu muito obrigado pela oportunidade que me deram de contribuir para um trabalho tão atual e impactante!”

Tendo regressado recentemente a Lisboa depois de um período de estudos de quatro anos em Nova Iorque, João Malta Barbosa integra atualmente a equipa clínica do Instituto de Implantologia sob coordenação do Professor João Caramês.

“Esta experiência além-fronteiras foi sem dúvida um ponto de viragem na minha vida profissional e pessoal. É com muita motivação que estou de regresso ao Instituto de Implantologia e à ‘minha’ Lisboa, ainda que tenha mantido uma ligação a Nova Iorque através do Departamento de Biomateriais e Biomimética da mesma universidade, com o qual colaboro como investigador voluntário, isto além do departamento de investigação científica do Instituto de Implantologia, que conta com vários colegas que, tal como eu, passaram por universidades internacionais e que mantêm um forte espírito de pesquisa e investigação científica.”