Medicina dentária

Guia para reconhecer branqueamentos dentários ilegais

Guia para reconhecer branqueamentos dentários ilegais

Os branqueamentos dentários são um dos procedimentos cosméticos mais populares. No Reino Unido, uma em cada seis pessoas já branqueou os dentes pelo menos uma vez, fazendo crescer uma indústria que vale já cerca de 40 milhões de libras anuais.

É também a enorme popularidade deste tipo de procedimentos que tem feito disparar o número de clínicas e profissionais a oferecer branqueamentos dentários sem que estejam habilitados para isso.

Por tudo isto, a Oral Health Foundation publicou recentemente um conjunto de recomendações para ajudar a população em geral a detetar procedimentos de branqueamento dentário sem qualidade ou ilegais. Conheça algumas das dicas.

1- Apenas os profissionais de medicina dentária podem realizar branqueamentos dentários

A organização esclarece que apenas os médicos dentistas, os higienistas orais ou assistentes dentários qualificados podem realizar este tipo de procedimentos. Se uma clínica de cosmética, salão de estética ou esteticista oferecerem este tipo de serviços estão a fazê-lo de forma ilegal.

2- Falta de conhecimento da lei não é desculpa

Muitos dos profissionais de estética que oferecem este tipo de serviços não sabem sequer que estão a desrespeitar a lei, uma vez que em muitos casos estas pessoas receberam formação de pessoas que lhes disseram que podem realizar este tipo de procedimentos.

3- Europa proíbe venda de produtos de branqueamento com concentrações de peróxido de hidrogénio superiores a 0,1% aos consumidores

Só os dentistas podem utilizar produtos com concentrações de peróxido de hidrogénio superiores a 0,1%.

4- Branqueamentos dentários podem ser perigosos

As leis existem para prevenir problemas graves como queimaduras químicas causadas pelo peróxido de hidrogénio. Uma utilização incorreta deste tipo de produtos pode causar problemas permanentes na saúde oral dos pacientes.