Médicos Dentistas

Governo quer consultórios dentistas em todos os Agrupamentos de Centros de Saúde

Dentistas do SNS com dificuldades em referenciar pacientes para consulta hospitalar

O Governo quer equipar todos os Agrupamentos de Centros de Saúde (ACeS) do País com gabinetes dentários até ao fim da legislatura, anunciou na passada sexta-feira a ministra da Saúde, Marta Temido.

A ministra anunciou a medida à margem da inauguração do modelo de consultório a adotar, que foi inaugurado em Valbom, no concelho de Gondomar, e deverá ser replicado no resto do território.

Atualmente, Portugal tem “105 consultórios de saúde oral nos cuidados de saúde primários”, algo que quer “aumentar”, referiu a ministra em declarações aos jornalistas.

O consultório inaugurado vai ser replicado noutros centros de saúde do País, numa parceria da tutela com as câmaras municipais, às quais cabe equipar o consultório, enquanto a Autoridade Regional de Saúde (ARS) local fica com a responsabilidade de atribuir os recursos humanos necessários.

A aposta na saúde oral tem sido uma marca da ação governativa da anterior legislatura que vai perdurar na atual. A par do cheque-dentista, temos feito a aposta nos cuidados de proximidade, nos centros de saúde. Temos 80% dos nossos Agrupamentos de Centros de Saúde com respostas de saúde oral e 40% dos nossos concelhos com respostas de saúde oral. O objetivo é a cobertura integral nesta legislatura”, anunciou a governante.

“Temos mais de 250 médicos a fazer juntas médicas neste momento. As juntas médicas complexificaram-se em função dos benefícios associados e exigem um trabalho mais complexo e mais moroso. Estamos a analisar o processo com os presidentes das ARS mais afetadas no sentido de desenhar medidas que permitam reforçar a resposta. Todos os atrasos são uma grande preocupação para nós porque afetam a vida das pessoas”, afirmou Marta Temido.

Em Gondomar, no distrito do Porto, foram inaugurados dois consultórios, o de Valbom e um em São Pedro da Cova, mas o presidente da Câmara local, Marco Martins, quer “no prazo de dois anos equipar as restantes”, disse aos jornalistas.

“A Câmara adquire equipamento e material e a ARS-Norte fornece os recursos humanos. Esta medida é fundamental. Há muitos doentes que não tinham dinheiro para ir a um consultório privado, mesmo com o cheque dentista, e agora podem aceder a este serviço.”

O equipamento destas duas unidades vai permitir que 29 mil utentes de Gondomar sejam abrangidos pela medida.