Células do siso conseguem regenerar tecidos

Curso modular de endodontia

Um grupo de investigadores da Faculdade de Odontologia da Universidade Internacional da Catalunha concluiu que uma célula estaminal pluripotente extraída da polpa dentária do terceiro molar – mais conhecido por dente do siso – é capaz de regenerar tecidos ósseos, hepáticos e nervosos.

A equipa de investigadores, liderada pelo médico Maher Atari, isolou a célula em pacientes com idades entre os 14 e os 60 anos. Em comunicado, os investigadores explicam que a descoberta é importante porque, no caso de haver transplante de células adultas, visto que estas são extraídas do próprio indivíduo que vai receber o tratamento, não há perigo de rejeição nem impedimentos éticos. “Por este motivo, o terceiro molar não é apenas um dente, mas um órgão em si mesmo”, referiram os investigadores.

O estudo foi publicado na revista científica Journal of Cell Science e concluiu ainda que as células estaminais pluripotentes estão sempre presentes na polpa dentárias, pelo que podem ser isoladas independentemente da idade.

Para aceder ao estudo clique aqui