Investigação

Bifosfonatos podem afetar cirurgias de implantes dentários

Bifosfonatos podem afetar cirurgias de implantes dentários

Os bifosfonatos podem afetar o sucesso das cirurgias de colocação de implantes dentários. A conclusão é de um estudo recentemente publicado na revista científica Journal of Oral Implantology e que se focou na utilização de bifosfonatos no tratamento de perda óssea e no seu efeito na qualidade da mandíbula.

O estudo do Kanagawa Dental University Hospital e da Tokyo Medical and Dental University contou com uma amostra de 25 mulheres com 60 ou mais anos de idade que foram diagnosticadas com osteoporose e que foram submetidas a cirurgias de implantes dentários na mandíbula entre janeiro de 2010 e março de 2013.

As pacientes foram divididas em dois grupos: o primeiro com 11 pacientes que estavam a tomar bifosfonatos há mais de um ano e o segundo com 14 pacientes a quem tinha sido subscrito um tratamento à base de hormonas.

As mandíbulas dos pacientes dos dois grupos foram comparadas com recurso a tomografias computadorizadas para analisar a densidade mineral óssea, a espessura cortical do osso e os efeitos da duração da terapia à base de bifosfonatos nestes dois fatores.

Os resultados agora divulgados mostram que no grupo de pacientes que estavam a tomar bifosfonatos, 11 pacientes, com um total de 25 implantes dentários, tiveram três implantes dentários falhados (11,1%). No caso dos pacientes que não estavam a fazer terapias à base de bifosfonatos todos os implantes sobreviveram.

Além disso, os resultados mostram que o grupo de pacientes que estava a fazer terapia com bifosfonatos tinha uma densidade mineral óssea superior aos pacientes do outro grupo. Já os pacientes a fazer terapia com bifosfonatos há mais tempo tinham uma espessura cortical do osso superior aos restantes pacientes.