Saúde Oral

“Quando acreditamos a 300% num projeto e vemos nisso uma forma de estar na vida, não há hipótese de não correr bem”

“Quando acreditamos a 300% num projeto e vemos nisso uma forma de estar na vida, não há hipótese de não correr bem”

Quem conversa com João Borges percebe que o jovem médico dentista tem tudo muito bem estruturado na sua mente. Começou na Malo Clinic e optou por sair para criar a sua própria clínica. O primeiro ano foi passado a construir uma marca. O segundo ano a construir a equipa. Neste momento tem uma clínica numa das zonas premium da cidade, com um centro de formação, e vários projetos para o futuro. Ficar parado não faz parte dos planos. A veia de empreendedor não o permite.

Quem teve o privilégio de assistir à palestra de João Borges em 2016 no Dentalbizz sabe que estamos perante um jovem médico dentista empreendedor. Não faz parte do ADN de João Borges ficar parado e desde 2012 – altura em que saiu da Malo Clinic, onde tinha entrado em 2004 – que tem batalhado para construir a sua própria marca. Hoje em dia, a João Borges Aesthetic Dentistry® é uma marca bem posicionada no mercado, com instalações na Avenida da Liberdade, e com uma boa carteira de clientes. Mas para chegar aqui João Borges teve de investir muito de si.

“Decidi fazer um investimento grande em formação, tinha acabado de ter um filho e surgiu a oportunidade de estar associado à Universidade Internacional da Catalunha, em Barcelona, numa pós-graduação de Reabilitação e Estética, com o objetivo de fazer uma investigação e tirar o mestrado. Queria apostar no meu CV formativo, ao tirar o mestrado e depois o doutoramento. Esse era o meu plano”.

Em 2011 os estudos estavam concluídos e como João Borges acredita numa relação de proximidade com os pacientes, queria ter um projeto que seguisse essa linha. “O ato médico tem por base a relação médico-paciente, que é uma relação de confiança e responsabilidade ao mesmo tempo, a qual se deve procurar que seja duradoura, de longo-prazo. Nessa medida queria algo que correspondesse ao que acredito, além de um desafio para a minha vida. Queria ser dono do meu tempo e achei que devia tentar a minha sorte”.

Ser empreendedor

João Borges sabia que o que estava à procura não era necessariamente fácil. “Esta história é especial para mim. Para poder começar um projeto em janeiro de 2013 tive de virar empreendedor. Isso corresponde a uma grande mudança de vida e a que se tenha de abdicar de muitas coisas. Todos os empreendedores ou donos de startups vivem, ao longo do seu caminho e desenvolvimento, momentos de dúvida: ‘será que vai resultar?’ Nesse sentido é um caminho solitário, em que se deve sempre fazer crescer e transmitir à equipa a força de se acreditar naquilo que se quer implementar”.

Sem capitais próprios nem possibilidade de pedir financiamentos por ser uma startup, João Borges achou que a melhor forma de concretizar o projeto seria ir adaptando o seu desenvolvimento e investimento, pouco a pouco, ao próprio crescimento do negócio. “Tenho na minha cabeça um projeto planeado a 10 anos e o objetivo do meu primeiro ano era criar uma marca. Ser identificado pelos pacientes e pelos meus pares”. Assim surgiu a João Borges Aesthetic Dentistry®.

‘I survived the first year’

“Felizmente no final de 2013 consegui terminar o ano com bons resultados e achei que se os pacientes iam até Cascais às minhas consultas então era altura de encontrar um espaço em Lisboa”. Até que surge uma oportunidade de um espaço na Avenida da Liberdade e começou então a perseguição do objetivo para o segundo ano: “estruturar uma equipa clínica à imagem daquilo que era a minha filosofia de trabalho”. Os dois anos que se seguiram foram de investimento nas instalações, sendo que esta é uma clínica totalmente privada.

“Na verdade, para mim o mais importante é a qualidade e experiência da equipa clínica, combinadas com as condições do espaço clínico, que levam a que os pacientes se sintam bem. Queremos primar pela diferenciação de serviço e diferenciação clínica. Recebemos todo o tipo de pacientes e todos são tratados. Hoje em dia, a Dental Academy permite ainda tratar mesmo aqueles pacientes que não têm possibilidades financeiras, porque são tratados sob tutoria por médicos dentistas que se vêm formar connosco”. Neste momento, a equipa é constituída por quatro médicos dentistas, um higienista oral, um médico estomatologista, três médicos dentistas na área da formação e três assistentes.

No início de 2017 surgiu a oportunidade de ampliar a área da clínica e mais uma vez investiu tudo o que tinha em obras de requalificação das áreas comuns e em novos gabinetes. “Em 2013, muitas pessoas disseram na altura que tive coragem, mas quando acreditamos a 300% num projeto e vemos nisso uma forma de estar na vida, não há hipótese de não correr bem”. Em 2015, o plano passou por comunicar a vertente de formação e ligação à universidade e João Borges volta a ligar-se à Faculdade em Barcelona, ao mesmo tempo que começa os cursos de formação, sendo que 2016 foi um ano intenso de participação em congressos e eventos em Portugal e no estrangeiro.

E para 2017? “Tenho uma equipa estruturada como tinha pensado, com um bom crescimento e sinto-me realizado por isso. Este foi o ano de lançamento do Centro de Formação, que tem estado a ter uma boa procura e 2018 trará mais novidades nessa área. Acho mesmo que a minha vida profissional é indissociável da formação pois obriga-me a uma constante renovação de conceitos, a estar atualizado e a ligação à Faculdade obriga-me a uma exigência maior. Irei continuar a tentar lançar projetos que possam ajudar a comunidade dentária nacional e internacional a desenvolver as suas capacidades e os seus conhecimentos, porque acho que o investimento privado nessa área também tem a sua responsabilidade na melhoria transversal do tratamento dos pacientes.”