SNS

Inserção da medicina dentária no SNS: plano pode passar por solução multifacetada

clínica dentária - Saúde Oral

No âmbito do grupo de trabalho que o Governo anunciou que vai criar já em maio, para “avaliar a criação de uma futura carreira de médico dentista no Serviço Nacional de Saúde”, em entrevista à SAÚDE ORAL o bastonário da OMD referiu que “nenhuma das quatro hipóteses que temos em cima da mesa exclui as outras”.

Mostrando a sua “surpresa e satisfação pelo Governo ter avançado tão rapidamente com o despacho para discutir este assunto, há muito reivindicado pelos médicos-dentistas”, Orlando Monteiro da Silva explica que no estudo da Universidade Nova, que a Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) entregou ao Governo, apresentam-se quatro cenários para permitir o acesso à medicina dentária no âmbito do Serviço Nacional de Saúde (SNS): o alargamento do cheque-dentista; a inserção de médicos-dentistas nos centros de saúde e hospitais; uma espécie de seguro público (tipo ADSE) e os seguros privados.

Orlando Monteiro da Silva - bastonário OMD - Saúde Oral

O bastonário adianta que a OMD fez depois uma sondagem interna aos seus membros e que as várias soluções foram indicadas por muitos dos médicos dentistas. Assim, a OMD vai manifestar ao Governo que “nenhuma destas hipóteses exclui a outra”.

Isto apesar de o Governo ter (aparentemente) escolhido o segundo cenário – uma vez que o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo disse à SAUDE ORAL que, com o trabalho desenvolvido e a desenvolver, “pretende-se estabelecer as bases técnico-científicas e jurídicas para a criação de algo inovador e que definitivamente consagre os médicos dentistas como profissionais de elevado valor no Serviço Nacional de Saúde, nomeadamente no âmbito das equipas de saúde familiar, nos Cuidados de Saúde Primários, o que permitirá seguramente contribuir para a diferenciação e para a melhoria da qualidade na prestação de cuidados de saúde oral aos cidadãos, bem como aumentar a segurança e estabilidade dos profissionais e das equipas onde se encontram inseridos”.

Solução imaginativa

Sobre o concurso a decorrer para o alargamento 50 centros de saúde da experiência-piloto lançada no ano passado, o bastonário da OMD considera que a solução encontrada pelo Governo “é imaginativa, embora não sendo a ideal. Não podendo avançar com uma ‘carreira’ de médico-dentista no SNS opta-se pela ‘compra de serviços de medicina dentária’ mantendo a autonomia do médico-dentista”.

Já sobre a contestação que surgiu na sequência deste concurso e que levou à criação da plataforma “Fazer Dentária” por um grupo de médicos dentistas para discutir este e outros assuntos de interesse para a profissão, Orlando Monteiro da Silva assegura que “a Ordem está sempre atenta a todas as opiniões, escutando-as com atenção e incorporando-as na nossa atuação e até corrigindo trajetórias, se necessário”.

Leia a entrevista completa na edição de maio-junho da revista SAÚDE ORAL.