Investigação

Duração da amamentação pode ter impacto na prevalência de cáries dentárias

Duração da amamentação pode ter impacto na prevalência de cáries dentárias

Um estudo conduzido na Universidade de Adelaide, na Austrália, em colaboração com a Universidade Federal de Pelotas e a Universidade de São Paulo, ambas no Brasil, sugere que a duração da amamentação pode ter impacto na prevalência das cáries dentárias em crianças. De acordo com os investigadores, as crianças que amamentam mais de dois anos têm um risco mais elevado de desenvolver cáries dentárias.

Segundo o Dental Tribune, o estudo indica que as crianças que amamentam durante mais tempo têm 2,4 vezes mais probabilidades de ter cáries severas na infância em comparação com aqueles que amamentam apenas até aos 12 meses de idade. No entanto, os resultados da investigação mostram que amamentar até idades entre os 12 e os 23 meses não tem impacto na incidência de cáries dentárias.

Para chegar a estar conclusão, os autores do estudo analisaram uma amostra de 1129 crianças em Pelotas, no Brasil, uma comunidade com uma rede de água fluoretada, recolhendo dados na nascença, aos três meses de idade e aos 1 e 2 anos. Para além disso, foram também analisados dados relativos ao consumo de açúcares aos 2, 4 e 5 anos de idade.

Os resultados da investigação mostram que o consumo de açúcar estava apenas associado a um maior risco de desenvolvimento de cáries dentárias quando as crianças que consumiam elevadas quantidades eram comparadas com as crianças que consumiam as menores quantidades.

Para além disso, de acordo com os investigadores, foi possível perceber que a amamentação prolongada era um fator de risco independente do consumo de açúcar no que diz respeito às cáries dentárias severas e à perda de dentes.

Saiba mais sobre este estudo aqui.