Saúde

Bastonário da OMD lembra que “não há saúde geral sem saúde oral”

Sabe quais são os quatro eixos estratégicos prioritários da OMD?

Orlando Monteiro da Silva, bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, defende que o médico dentista tem cada vez mais “um papel central na liderança de equipas” e no “desenvolvimento de estratégias de prevenção da doença”, sobretudo agora que há maior consciencialização para o facto de não existir saúde geral “sem saúde oral”.

As declarações foram preferidas por Orlando Monteiro da Silva numa entrevista que concedeu ao website Hospital do Futuro e em que refere ainda que “o desenvolvimento tecnológico e científico tem contribuído para que estes profissionais [médicos dentistas] assumam a liderança no rastreio e vigilância da saúde. Os médicos dentistas estão numa posição privilegiada para sensibilizar a população para os fatores de risco, promover cuidados preventivos e fazer o rastreio de doenças, como a cardiovascular ou a diabetes.”

Na entrevista concedida ao website, Orlando Monteiro da Silva explica que “a emergência de novos modelos de trabalho está a contribuir para o reconhecimento de que as doenças orais não podem ser tratadas isoladamente e de que o profissional de saúde oral é um elemento-chave no diagnóstico de outras patologias.” Assim, na sua opinião, no futuro a medicina dentária terá que ser capaz de “dar resposta à crescente necessidade e procura de cuidados de saúde oral”; “alargar o papel dos médicos dentistas”; “construir um modelo educacional adequado, em quantidade e qualidade”; “atenuar os impactos da dinâmica socioeconómica na saúde das populações e na profissão”; e “promover a investigação e a tecnologia, que são essenciais e translacionais.”

O Orlando Monteiro da Silva sublinha ainda que o interesse económico da atividade de médico dentista não “desvirtua o papel do médico dentista” na promoção da saúde oral. De acordo com o bastonário da OMD, “o investimento na prevenção da doença traz ganhos para o futuro. A doença tem inúmeras repercussões para a economia, não só ao nível dos custos dos tratamentos, do absentismo laboral, por exemplo, mas também para o médico dentista, pois o investimento na prevenção pressupõe a consulta regular do médico dentista.”